quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Fim do Blog!

Calma! O Blog da LS Estratégia não vai acabar definitivamente. Apenas irá mudar de endereço. Isso mesmo. A partir do próximo post você pode acompanhar nossas atualizações no endereço: www.lsestrategia.com.br.

As novidades não param por aí. O site da LS Estratégia está de cara nova e agora reúne blog, canal do youtube e redes sociais. Mudamos para trazer mais informação e interatividade para você, nosso leitor.



Acesse www.lsestrategia.com.br e confira!
Bookmark and Share

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Redes Sociais: Brasil é 5º lugar



O Brasil é o quinto maior mercado do mundo para redes sociais online, segundo uma pesquisa da empresa ComScore, que mede audiência na internet.

No País, sites de relacionamento social tiveram 35,2 milhões de visitantes únicos em julho, uma alta de 47% em comparação a um ano antes.

Os Estados Unidos lideram o ranking com 174 milhões de visitantes únicos e um crescimento de 33%. O Brasil está à frente de países desenvolvidos, mas não tão populosos, como o Reino Unido, e também de algumas nações emergentes com imensa população, como a Índia.

No mundo, as redes sociais online tiveram 945 milhões de visitantes únicos em julho, o que representa um crescimento de 23% ao longo de um ano.

Os números correspondem a acessos feitos de residências e do trabalho. Exclui visitas de lugares públicos, como cafés e lan houses, e também acessos via celular.

No Brasil, o Orkut continua sendo o serviço mais popular das redes sociais, com 28,9 milhões de visitantes únicos em julho, o que representa crescimento de 27% em 12 meses. No mesmo período, o Facebook registrou um crescimento de 524%, chegando a 8,2 milhões de visitantes.

Fonte: O Estadão
Bookmark and Share

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

LS Estratégia cria mascotes para Correspondente do Banco do Brasil


A LS Estratégia desenvolveu dois mascotes para a Signa. A ideia foi destacá-los em todas as peças publicitárias da empresa, criando, a longo prazo, um padrão na sua comunicação. A proposta visa aumentar o share of mind da marca, dinamizar as peças, além de conquistar a simpatia dos consumidores. Batizados de Sig e Naná, os mascotes foram criados a partir dos losangos verde e amarelo da marca. Sig e Naná serão ilustrados em diversas situações do cotidiano, mostrando como ir à Signa torna a vida melhor e mais fácil.

A Signa, cliente da LS Estratégia há quase 2 anos, atua nas regiões Norte, Sudeste e Centro-Oeste, em 70 cidades do País.

Bookmark and Share

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Marketing e comunicação da pequena empresa frente ao consumidor pós-globalizado

Por Luiz Santos – Publicitário e empresário
Artigo apresentado em palestra na Faculdade Darcy Ribeiro em Fortaleza-Ce


A terceira globalização do planeta, iniciada de forma mais assumida no comecinho dos anos 80, no chamado Consenso de Whashington, precisava vencer 3 obstáculos para dar certo. O primeiro era a instabilidade econômica que rolava solta em muitos países. No Brasil, a era FHC deu a partida para que isso acontecesse. Com muitos países economicamente estáveis, os processos de produção poderiam ser globalizados sem colocar em risco uma política global de preços, ao menos na aquisição dos componentes dos produtos. O segundo obstáculo era a instabilidade política. E tome de democratização mundo afora. Fica mais confiável negociar com países sem o sobressalto de golpes repentinos ou guinadas malucas na vida econômica. O terceiro era a standartização de processos - os ISOS e suas variações, para que centenas, milhares de empresas que nem se conheciam direito pudessem ter o mínimo de garantia de que suas parceiras estavam aptas a prestar determinado serviço ou fornecer certos componentes.

A consagração desse modo de funcionamento da economia global, olhando para o universo da comunicação, trouxe 2 eventos marcantes. A acessibilidade foi um deles. Só no governo FHC, mais de 4,5 milhões de lares tiveram sua primeira tv. Hoje, quase todos os habitantes do planeta têm acesso a todos os tipos de informação, das úteis às inúteis, das boas às más. O outro evento foi a instantaneidade. O mundo está online. Na mesma hora se sabe de tudo em todo lugar. Estas duas características da comunicação estão criando uma nova cabeça de cidadãos. De consumidores. Mais unidos, globalmente falando. Vazou a informação de uma empresa fazendo algo politicamente incorreto do outro lado do mundo, associações de algumas dúzias de países organizam protestos e boicotes na hora seguinte. Ou aplausos. Acontece de tudo.

Mas acontece também algo nessas almas. Os “global players” acabam trazendo para os mercados regionais um padrão de comunicação que, juntamente com suas filiais, colocam em pé os cabelos dos empreendedores locais. O Brasil tem vários exemplos. Empresas locais, pequenas e médias, foram obrigadas a correr atrás da profissionalização do marketing e da comunicação, para permanecer vivas e, se bem sucedidas, competitivas.

Pois bem, esse lado está se resolvendo das empresas médias pra cima. As micro e pequenas agora que estão se defrontando com essa nova realidade. Elas terão mais desafios do que as outras. É como se, antes de aprender os 4 “Ps” do marketing clássico, tivessem de enfrentar os 4 “Ns” de sua dura realidade. O primeiro N é de NÃO ter dinheiro para contratar os serviços de uma consultoria em marketing e uma agência de propaganda (a segunda dá a solução para as estratégias que a primeira sugeriu). O segundo é o N de NÃO ter posicionamento definido. Quem é anunciante experiente sabe, tem que ter posicionamento para saber como quer ser percebido. Sem esse posicionamento fica fácil saber o próximo NÃO. Não saber passar um briefing. E, em seguida, o último: NÃO saber aprovar.

Assim, a nova fronteira para a competitividade dos micro e pequenos é a profissionalização das ações de marketing e comunicação, numa faixa de custo adequada à sua realidade e num nível condizente com as exigências desse consumidor pós-globalizado.

Quando amadurecemos a idéia de lançar o Cresça e Apareça foi exatamente para tirar estes NÃOs da vida dos micro e pequenos empreendedores, dentro do padrão que se espera. O produto é uma assinatura mensal acessível e tem todas as dicas para as situações relacionadas acima. Aliás, na Feira do Empreendedor, quando tivemos a oportunidade de fazer 164 apresentações do Cresça e Apareça, e nas palestras que tenho realizado em alguns locais, a parte que mais sacode a platéia é justamente a que contribui para a formação de um juízo de valor. Nós mostramos a mesma ideia interpretada graficamente de forma diferente. As pessoas olham e optam, claro, pela mais bonita. Ou, em exemplos mais subjetivos, pelas peças mais elegantes, menos preconceituosas. A chave para uma boa comunicação, as agências e seus clientes sabem, é o nível de quem pede, de quem propõe e de quem aprova. Estamos iniciando uma luta para que esta parte da profissionalização chegue a um número cada vez maior de micro e pequenos empreendedores.
Bookmark and Share

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Twitter: 93 milhões de visitantes só em junho, mais de 20% deles são brasileiros


A consultoria ComScore divulgou estudo sobre o surpreendente crescimento mundial do Twitter. Em Junho de 2010, aproximadamente 93 milhões de usuários únicos globais a partir de 15 anos de idade visitaram o Twitter.com de casa ou local de trabalho, um aumento de 109% em relação ao ano anterior. Isso exclui o uso de aplicativos associados ao Twitter, como o TweetDeck. Uma análise das cinco principais regiões globais revelou que a América Latina teve o maior crescimento de audiência, subindo 305%, a 15.4 milhões de usuários.

Os dados apresentados pela pesquisa mostram a forte presença das redes sociais e que o Twitter é uma das mais acessadas do mundo. Segundo Graham Mudd, vice-presidente da comScore, responsável por pesquisa e mídia, "hoje quase três entre quarto usuários globais da Internet acessam sites de rede social todos os meses, tornando-a uma das atividades mais onipresentes na web. Ao passo que mais usuários ao redor do mundo se tornaram mais familiarizados e acostumados a se conectar e se expressar através do meio social, foi criado um ambiente em que novos meios como o Twitter podem emergir globalmente em um curto período de tempo”.

Ainda segundo a pesquisa, mais de 20% dos visitantes do microblog são brasileiros.

Fonte: Adnews
Bookmark and Share

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Cresça e Apareça empolga empreendedores e estudantes na Feira do Empreendedor 2010

O Cresça e Apareça despertou bastante interesse nos visitantes que passaram em seu stand na Feira do Empreendedor 2010, evento realizado pelo SEBRAE no período de 04 a 07 de agosto, no Centro de Convenções do Ceará.



O produto foi apresentado a 164 pessoas, entre elas pequenos empreendedores, profissionais e estudantes de marketing e comunicação. O Cresça e Apareça também foi exposto em mini-palestras que aconteceram no espaço da Ilha Digital, ministradas pelo idealizador do produto, o publicitário Luiz Santos. Foi perceptível o interesse e a compreensão do produto, em seu caráter inovador e papel na formação de juízo de valor, pelas pessoas que tiveram a oportunidade de conhecê-lo. Um exemplo que ilustra isso foi um casal de empresários que visitou o stand e, após navegar e receber informações sobre o produto, percebeu que no dia anterior tinham aprovado um folheto de ofertas errado. Neste momento, notaram a importância de se ter critério, rigor e conhecimento para aprovar bem a sua comunicação.



Além de empreendedores, o Cresça e Apareça também despertou interesse em diversos estudantes de marketing e comunicação. A turma de Marketing da faculdade Darcy Ribeiro, da disciplina de Administração da Força de Vendas, participou do evento com o objetivo de vivenciar uma situação bem próxima do mercado e ficou fascinada com o produto, conforme relata a professora Eliane Silva: “Foram vários os comentários sobre os expositores visitados pelos alunos. O estande exposto que mais chamou atenção foi o que trazia o serviço do “Cresça e Apareça”. Os alunos ficaram fascinados com o serviço e seus benefícios. Ressaltaram também que o modo como foram abordados pelo expositor foi tão ético e profissional que se estivessem ali na condição de pequenos empresários, sem dúvida, comprariam o serviço”. Eliane ressalta ainda que os alunos não tiveram nenhum conhecimento anterior sobre o produto e, que mesmo assim, perceberam sua importância e benefícios para o pequeno empresário.

A participação do Cresça e Apareça na Feira do Empreendedor foi uma experiência bastante rica. “O resultado mais positivo foi o contato direto com os possíveis usuários e a possibilidade de identificar melhor, entre todos os perfis, o mais adequado ao uso do produto em sua versão atual na WEB”, avalia Luiz Santos.

Se você ainda não conhece o Cresça e Apareça acesse: www.crescaeapareca.com. Faça sua assinatura e profissionalize seu marketing e sua comunicação.
Bookmark and Share

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Feira do Empreendedor 2010 começa amanhã

A abertura oficial da Feria do Empreendedor 2010 acontece amanhã, a partir das 14horas, no Centro de Convenções. O evento traz diversas oportunidades de negócios, visando difundir o empreendedorismo no Ceará.

O Cresça e Apareça, primeiro Guia Online de Marketing e Comunicação para Micro e Pequenos Empresas, será apresentado durante os quatro dias do evento em mini-palestras que acontecerão no espaço da Ilha Digital, ministradas pelo publicitário Luiz Santos, idealizador do produto. Confira os horários:

Dia 04 (quarta-feira) e 05 (quinta-feira) – horário: 19:45Espaço 3 – Ilha Digital
Dia 06 (sexta-feira) – horário: 17:30Espaço 4 – Ilha Digital
Dia 07 (Sábado) – horário: 19:45Espaço 3 - Ilha Digital

Os visitantes também poderão conhecer melhor o produto no stand do Cresça e Apareça, que ficará localizado em frente ao lounge, ao lado da praça de alimentação. O stand também fica próximo à Ilha Digital, onde acontecerão as mini-palestras.

No dia 04, às 15h (bloco A – Sala 03), também acontece a palestra “Para não dormir na rede”, com o Luiz Santos, sobre a importância do planejamento e posicionamento para a inserção das micro e pequenas empresas no mercado digital.

Faça sua inscrição gratuita e participe!
Acesse: www.feiradoempreendedorce.com.br


INFORMAÇÕES
0800 570 0800
feiradoempreendedor@ce.sebrae.com.br
Local: Centro de Convenções do Ceará
Bookmark and Share

quarta-feira, 28 de julho de 2010

LS Estratégia estará presente na Feira do Empreendedor 2010


De 04 a 07 de agosto, no Centro de Convenções, será realizada a Feira do Empreendedor 2010, um dos maiores eventos de oportunidades de negócios realizado pelo SEBRAE no Ceará.

A Feira do Empreendedor tem como objetivo gerar novos negócios, difundir o empreendedorismo no Ceará, estimulando a formalização, ampliação e inovação de empreendimentos competitivos e sustentáveis, através de orientações empresariais sobre gestão e tecnologia, e promoção do acesso ao mercado. O evento é um espaço para pessoas que buscam caminhos para iniciar e/ou impulsionar negócios. A idéia da Feira do Empreendedor é contribuir para o surgimento e a consolidação de negócios viáveis e sustentáveis.

Neste ano, a Feira está dividida em 4 (quatro) Eixos de Oportunidade de Negócios: EIXO DOS GRANDES INVESTIMENTOS, EIXO COPA DO MUNDO FIFA 2014 E EVENTOS TURÍSTICOS E CULTURAIS, EIXO AMBIENTAL e EIXO DO MERCADO DIGITAL. Neste ultimo, os visitantes poderão conhecer as oportunidades de negócio relacionadas ao mercado digital. É neste espaço que poderão conhecer o CRESÇA E APAREÇA.

A LS Estratégia estará presente na Feira do Empreendedor 2010 com um stand durante os 4 dias do evento, apresentando o primeiro guia online de marketing e comunicação para micro e pequenas empresas, o CRESÇA E APAREÇA. O Stand ficará localizado em frente ao lounge, ao lado da praça de alimentação do Centro de Convenções.


Luiz Santos

No dia 04, às 15h, o publicitário Luiz Santos, idealizador do produto, ministrará a palestra “Para não dormir na rede”, em que aborda a importância do planejamento e posicionamento para que a inserção das micro e pequenas empresas no mercado digital seja otimizada. O local da palestra será a sala 03, no bloco A.

Para ver a programação completa e fazer sua inscrição para participar da Feira do Empreendedor acesse: www.feiradoempreendedorce.com.br. A inscrição para visitantes é gratuita!


PARTICIPE!

Data: 04 a 07 de agosto de 2010

Horário:
04 a 07/08 - Das 14 às 22 Horas (Exposição, Palestras, Cursos e Oficinas)
04/08 - Das 19 às 20:30 Horas (Solenidade de Abertura/Apresentação Cultural)

Local: Centro de Convenções do Ceará

INFORMAÇÕES
0800 570 0800
feiradoempreendedor@ce.sebrae.com.br
Bookmark and Share

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Terceira idade: Novos hábitos de consumo

Eles vão ao shopping, mudam de marca e estão mais ligados em tecnologia

Eles dispõem de tempo para se dedicar às compras, vão ao supermercado pelo menos cinco vezes por semana e, segundo pesquisa feita pela GFK, possuem potencial de consumo de R$ 7,5 bilhões, o dobro da média nacional. Mesmo com todas essas características, os consumidores da terceira idade ainda passam despercebidos diante dos olhos do mercado, que não costuma traçar estratégias específicas para atrair esse perfil que, ao contrário do que se pensa, não é nada conservador em seus hábitos de consumo.

O Brasil conta hoje com 19 milhões de idosos, faixa etária que mais cresce no país, representam 10,5% da população total e 83% deles vivem nas cidades (IBGE 2009). Eles despontam como um novo filão para empresas de produtos e serviços, pois 80% desse grupo recebe aposentadorias e pensões, além de ter obtido uma melhoria de renda nos últimos 10 anos. O perfil do idoso brasileiro mostra que ele está mais planejado em relação às compras. Pesquisa do Datafolha publicada em 2008 revela que 72% dos idosos saem de casa todos os dias. Além disso, eles sempre pedem uma segunda opinião antes de escolher determinado produto.

O mercado

O mercado de cosméticos, o setor bancário e as instituições de ensino já começam a ver um mercado promissor no público acima dos 65 anos. Tanto que estão investindo mais nos pontos-de-venda e nos programas de fidelização, pois sabem que os idosos gostam de ser reconhecidos como bons clientes.

A abordagem desse público também merece cuidado especial. A aproximação de venda deve valorizar o produto ou serviço que priorize sua liberdade. É importante que a loja entenda a terceira idade no contato visual. “O banco é um acontecimento importante na rotina do idoso. Ele gosta de estar inserido na modernidade, embora ainda tenha certo temor. O lazer, muitas vezes, é sair para realizar serviços cotidianos como o pagamento de contas e compras no supermercado. Mas para lançar estratégias para esse público é preciso levar em consideração algumas especificidades. Não é ressaltando suas deficiências que uma marca vai conseguir conquistá-lo”, ressalta Gilberto Cavicchioli, professor do Núcleo de Gestão de Pessoas da ESPM.

Internet muda perfil

Os números divulgados pela Datafolha em 2008 mostram que apenas 5% dos idosos têm acesso a internet no Brasil. Entretanto, a rede mundial de computadores tem sido responsável por uma mudança no ponto de vista dessa classe. O consenso de lealdade às marcas que antes era atribuído a essa faixa etária vem se quebrando ao longo do tempo, embora grande parte da população acima dos 65 anos ainda mantenha preferência por determinados produtos. O que se vê é que quanto mais acesso à informação tem o idoso, mais aberto ele se torna a novas experiências.“Os que se informam mais estão mais dispostos a mudanças. Conhecer as necessidades deste público é a peça chave para uma iniciativa mercadológica eficaz”, analisa Claudio Felisoni, especialista em comportamento de consumo.

O consumo na Terceira Idade

- 19 milhões dos brasileiros são idosos
- 77% dos idosos gasta entre R$ 100 e R$ 550 mensais no supermercado
- 80% tem algum tipo de renda
- 20% associa as compras a uma atividade de lazer
- 20% da população economicamente ativa
- 70% não compra por impulso, além de evitar comprar nos fins de semana
- São responsáveis por 10% do varejo físico e 50% do varejo virtual
- Potencial de consumo da terceira idade é de R$ 7,5 bilhões
- 72% saem de casa todos os dias
- A renda média da aposentadoria é de R$ 777,60

Fontes: Provar, Datafolha e IBGE

Matéria completa no mundodomarketing.com.br
Bookmark and Share

sexta-feira, 16 de julho de 2010

"Dança da Recarga é o destaque da semana"

A animação "Dança da Recarga" é destaque da semana segundo O Povo. Veja abaixo a nota do jornal:

Dancinha da recarga
15/07/2010 02:00


O destaque da semana vai para a animação A Dança da Recarga, criação da LS Estratégia para a loja Cecomil. O vídeo é cômico: são duas impressoras e um toner rebolando ao som de um jingle cheio de duplos sentidos. No site www.youtube.com/user/LojaCecomil. Já são mais 800 exibições, em cinco dias.

Fonte: O Povo
Bookmark and Share

Candidato a Desembargador mostra a importância do voto

A eleição para desembargador está chegando, mas poucos advogados se sentem estimulados a votar. Na última eleição, apenas 20% votaram. O baixo número de votantes motivou o candidato à vaga do quinto constitucional no Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, Ernando Uchôa Sobrinho, a mostrar a importância do voto.

Em seu material de comunicação, Ernando Sobrinho enfatizou que a OAB deve ser referência de boa cidadania para a sociedade, principalmente no contexto atual, em que toda a nação se prepara para exercer seu poder de cidadão nas eleições para Presidente da República.

O advogado incentivou os colegas a estudar cada um dos candidatos e escolher aqueles que mais se adequam aos seus ideais.
A LS Estratégia é responsável, junto com a equipe de assessoria da campanha, pela orientação de toda a comunicação do candidato Ernando Uchôa Sobrinho.

Newsletter
Bookmark and Share

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Viral da Cecomil Service faz sucesso na internet



5 dias de divulgação, mais de 800 exibições no Youtube e muitos comentários. Essa é a repercussão que o viral “Dança da Recarga” está gerando na internet. Criado pela LS Estratégia e desenvolvido pela Lunart, o filme em 2D mostra duas impressoras pra lá de sensuais e um toner rebolando ao som do pagode. A música mostra o quanto as impressoras valorizam um toner recarregado.

Confira o vídeo.
Bookmark and Share

sexta-feira, 9 de julho de 2010

LS Estratégia desenvolve vídeo divertido para mídia online


Quem imagina que toner recarregado danifica a impressora, vai se surpreender com o vídeo em animação 2D que a Cecomil Service acaba de lançar. Criado pela LS Estratégia e desenvolvido pela Lunart, o filme mostra duas impressoras pra lá de sensuais e um toner rebolando ao som do pagode. A música mostra o quanto as impressoras valorizam um toner recarregado. O vídeo está sendo divulgado no canal do YouTube e o link disponibilizado em redes sociais.

O mercado de toner está aquecido. Recentemente, a HP lançou uma campanha mostrando os pontos negativos da recarga de toner, incentivando assim o uso do original. Ao que tudo indica, parece que a recarga está incomodando a fabricante. A briga toner recarregado x original pode ser comparada ao embate entre os remédios de marca e os genéricos, considerados mais baratos e com qualidades equivalentes.

A Cecomil Service sabe de todas as vantagens da recarga e por isso apoia e incentiva o serviço. Assim como acontece com os medicamentos, há consumidores tanto para toners originais quanto para os genéricos, prova de que o mercado está aí para todos.
Bookmark and Share

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Internet. Mudança do comportamento do consumidor

A internet provocou mudanças radicais em todas as esferas da vida. O universo digital se consolida como um ambiente de interação, relacionamento e consumo, impondo novas maneiras de se relacionar, se comunicar e, claro, consumir. Possibilita também a identificação de tendências e mudanças no comportamento das pessoas de forma muito mais veloz. Para os pesquisadores, ela serve de campo de observação da realidade, um verdadeiro banco de dados do comportamento humano à disposição e em tempo real.

Veja abaixo alguns dados apresentados no 4º Congresso Brasileiro de Pesquisa de Mercado, realizado pela Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa, sobre as mudanças que a internet gerou no comportamento do consumidor:

A web mudou o comportamento das crianças brasileiras de 4 a 12 anos. Elas são as que mais acessam a internet no mundo, segundo pesquisa realizada pela Millward Brown Brasil em 12 países. Aqui, elas passam 13 horas conectadas principalmente jogando on-line. Com a web, as crianças se tornam multiplataforma e superconectadas. O desafio das marcas é chamar atenção delas com uma experiência divertida.

O estudo brasileiro envolveu oito grupos de discussão, formados por mães e crianças das classes ABC. Hoje, o brinquedo divide espaço com a internet e com o celular. O diário virou blog e não são mais os pais que escolhem o que as crianças compram, mas elas próprias. Assim como a TV, todos querem ter o seu computador no quarto, o que na classe C é aspiracional. Quando o assunto é rede social, os pré-adolescentes são a maioria por a utilizarem como convívio.

Branding digital

A internet ganha também um papel cada vez mais importante na construção de marcas. “É o que chamamos de círculo virtuoso do branding, onde consumidores digitais são mais jovens, mais bem informados, pesquisam mais e compram mais pela web. O conhecimento sobre marcas os tornam influenciadores de outras pessoas. Por isso, vale a pena investir neste consumidor”, afirma Valkiria Garré (foto), Diretora Executiva da Millward Brown do Brasil.

Os adolescentes estão buscando jogos, redes sociais, músicas, vídeos e mensagens. Já os adultos estão em busca de notícias, basicamente. Pesquisa feita pela Millward Brown do Brasil aponta para um relacionamento entre adolescentes e marcas baseado em roupa, tênis e tecnologia. “Apesar de extremamente ativo na web, o jovem tem dificuldade de falar de propaganda na internet. Tanto positiva quanto negativamente”, diz Valkiria.

Assim como os mais jovens, os adultos também procuram marcas na web após verem uma propaganda na TV. Como a Coca-Cola, por exemplo. O estudo mostra que 13% dos internautas descobriram a marca de refrigerantes na internet por meio da TV. Outro dado interessante é de que, tanto adultos quanto jovens, pesquisam preços na web e compram na loja por motivos de segurança.

Etnografia Digital

A chamada Etnografia Digital também ganha força e se percebe que as mulheres da classe C que acessam a internet ganham uma nova vida digital. É o que indica a pesquisa desenvolvida pela Predica e pela Multifocus com mulheres, donas-de-casa, de 25 a 49 anos, de São Paulo. Quarenta por cento delas passam mais de duas horas conectadas por dia, sendo que 83% acessa a rede todo os dias, principalmente a tarde. O estudo mostra os hábitos de navegação e indicam a preferência por sites de relacionamento (44%), informação (38%), entretenimento (10%), compra on-line (6%) e serviços (2%).

Durante 11 dias de levantamento, o estudo apresentado por Claudia Woods, diretora de inteligência e Marketing da Predicta, registrou 94.250 acessos e 2.700 links diferentes. A internet reflete uma mudança de hábito das mulheres. Trinta e três por cento delas a utilizam como passatempo melhor que a televisão, 78% se sentem mais globalizadas, 15% chegou a se dizer mais inteligente e 26% se sentem seguras em comprar on-line. Elas ainda participam de redes sociais (94%), acessando principalmente o Orkut.

Estas mulheres também vão ao banco virtualmente (23%) e acabam migrando seus hábitos de consumo para o ambiente on-line, principalmente com relação a mídia, pois 66% delas estão lendo menos jornais, 61% assistem menos a TV e 54% ouvem menos o rádio. Na hora de comparar preço, mais de metade (60%) afirmou que não gasta mais sola de sapato indo às lojas, fazendo a comparação on-line.

Pesquisa on-line

Para as empresas anunciantes na web, duas ótimas notícias: 55% lembram de propagandas on-line e 32% delas já participaram de promoções pela internet. Na hora de comprar, 63% buscam informação de produtos nos sites das empresas e 12% publicam suas opiniões sobre uma marca em fóruns e comunidades.

E a pesquisa pela internet? Avaliar comunicação e fazer pré-teste de campanhas pela internet dá o mesmo resultado que presencialmente, é 50% mais rápido e até 20% mais barato, aponta a GFK Brasil. Um estudo feito para a marca Elsève serviu de caso de sucesso para mostrar que o formato de pesquisa deve e precisa evoluir, assim como a comunicação e o consumidor mudaram nos últimos anos.

Alguns mitos caíram por terra. Da mesma forma que no ambiente tradicional, a pesquisa pela internet está sujeita aos mesmos vieses que a tradicional. Apesar do perfil dos respondentes na web ser mais jovem e com maior poder de consumo, pode-se segmentar a base amostral, tamanho e o acesso ao consumidor on-line hoje. E a riqueza das respostas, é boa? “Não é porque está on-line que terá uma resposta pobre. É possível ter um material de qualidade pela internet”, aponta Cristina Jensen, da GFK.

Fonte: Mundo Marketing
Bookmark and Share

terça-feira, 29 de junho de 2010

Redes sociais: sua empresa está pronta?

Brasil possui cerca de 55 milhões de usuários das mídias sociais



Se sua empresa ainda não está por dentro das redes sociais é melhor ela começar a repensar sua forma de relacionamento com os clientes, que hoje buscam respostas cada vez mais rápidas e eficientes. O uso de redes sociais, como Twitter, Orkut, Facebook, Flickr e Blog, mostra-se cada vez mais crescente no País e no Ceará. Essas ferramentas são bastante eficientes, se bem utilizadas, pois funcionam como um canal direto de comunicação com o público-alvo das empresas, e, principalmente, para conquista e fidelização de clientes.

No Brasil, existem cerca de 55 milhões de usuários de redes sociais, número que cresce diariamente. Somente em 2008, o Twitter expandiu 1382% no País. Em todo o mundo, de acordo com o jornal The Australian, são aproximadamente 105 milhões de usuários registrados no Twitter e, diariamente, são criadas 300 mil novos. Além de perfis de pessoas comuns, é crescente a presença de empresas nas redes sociais.

De acordo com uma pesquisa realizada pela consultoria Deloitte, realizada com 302 empresas de diversos segmentos e portes econômicos que atuam no País, 70% das instituições utilizam as redes sociais. O maior número de usuários encontra-se em São Paulo (63%), Rio de Janeiro (7%) e Minas Gerais (6%). As companhias multinacionais representam 16% das participantes, e o restante, 84%, são de origem nacional.

A utilização das redes sociais pelas empresas e organizações é uma tendência forte e o mercado cearense está em expansão. Por tanto, é importante que as empresas locais se façam presentes nas redes sociais, criando um canal oficial com seu público-alvo. Elas precisam estar antenadas com os avanços tecnológicos e com as novidades no que diz respeito à comunicação, buscando ajuda profissional, para utilizar os canais corretamente, a fim de manter um relacionamento cada vez melhor e mais eficiente com seus clientes.

Fonte: O Estado
Bookmark and Share

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Brasil é o país que mais utiliza as redes sociais na internet



Segundo um estudo da Nielsen, que analisou o uso da internet durante o mês de abril deste ano, 22% do tempo gasto na web é investido em redes sociais - isso não só nos EUA, mas em todo o mundo. Além disso, 75% dos usuários web mundiais visitam um blog ou rede social quando estão online, e o Facebook, YouTube e Wikipedia estão entre as marcas mundiais mais populares. O Brasil também foi destaque na pesquisa - é o país que mais utiliza redes sociais na web.

E você, como está aproveitando esta oportunidade para se relacionar com seus clientes e fortalecer sua imagem?

As redes sociais estão, cada vez mais, com força total. Não perca este campo de oportunidades!

Fonte: Blue Bus
Bookmark and Share

segunda-feira, 14 de junho de 2010

LS Estratégia conquista Cecomil Service

A Cecomil Service é a mais nova conta da LS Estratégia. O primeiro desafio foi desenvolver um projeto com foco no incentivo à recarga de toners.

A LS Estratégia criou uma campanha praticamente toda online. Os esforços junto ao público interno ocorreram por meio de teasers e newsletters, estimulando os colaboradores a informar todas as vantagens de recarregar na Cecomil Service.





Foram criadas também newsletters específicas para os clientes, ressaltando os pontos fortes da recarga, como economia, segurança, prática socioambiental, além de mostrar porque vale a pena recarregar na Cecomil Service. A campanha será divulgada em redes sociais, blog, viral no youtube, mensagens no twitter e SMS.





O viral em animação 2D mostra duas impressoras sensuais rebolando ao som do pagode. Um toner recarregado com pinta de pagodeiro entra na dança e vira a grande atração. A letra da música mostra o quanto as impressoras valorizam um toner recarregado. O objetivo é desmistificar a lenda de que toner recarregado danifica a impressora. Além do youtube, o vídeo será divulgado no hotsite da empresa.

As peças para o PDV consistem em móbile, display e um take one, que mostra mitos e verdades sobre a recarga de toner. Foi produzido um guia de vendas para o call center, com as informações mais importantes sobre a recarga.



A LS Estratégia, através da sua ferramenta de estudo sobre o PDV - Nucleo de Estudo e Rastreamento de Demandas (NERD), fará um acompanhamento da atuação da equipe da Cecomil Service e do comportamento do cliente.

Baseado no clima da Copa do Mundo, a LS Estratégia criou um teaser e uma newsletter para alertar sobre a importância de ter um toner reserva. Na primeira peça, o cliente é questionado com o título “Pergunte ao Dunga se ele não tem”. A newsletter traz o título com a pergunta “O dunga não fica sem o reserva. E você, vai ficar?” As peças serão enviadas no dia anterior ao primeiro jogo do Brasil e no dia da estreia, respectivamente.

Bookmark and Share

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Nova conta da LS Estratégia traz novidades a Fortaleza

A RDM Motos - revenda Suzuki ainda nem abriu as portas, mas já vem cheia de novidades. A empresa traz a Fortaleza a primeira franquia da Moto Store, maior loja de acessórios para motociclista do Brasil. Situada na Av. Antônio Sales, a RDM Motos será aberta na segunda quinzena de junho.

A LS Estratégia é a responsável pelo marketing e comunicação da empresa.
Bookmark and Share

terça-feira, 18 de maio de 2010

O maior dos mercados emergentes

Com 12 trilhões de dólares despejados na economia em 2009 - mais do que a soma das economias do celebrado Bric, as mulheres são o maior mercado emergente do mundo.

Uma recente pesquisa elaborada pela consultoria Boston Consulting Group (BCG) mostra que, nos próximos cinco anos, a renda feminina mundial deverá receber um incremento de 5 trilhões de dólares, chegando a 18 trilhões - mais do que a soma do produto interno bruto de Brasil, Rússia, Índia e China, o tão celebrado Bric. "Trata-se do maior mercado emergente de todos os tempos. As mulheres vão liderar o mundo pós-crise", diz a americana Kate Sayre, uma das autoras do estudo. "De meras coadjuvantes na economia, elas se converteram na maior esperança de crescimento para diversos países.

Até hoje, as mulheres eram vistas basicamente como "influenciadoras" das decisões de compra - sobretudo como donas de casa que ajudam a administrar o orçamento familiar. "O que está em discussão, agora, não é tanto sua capacidade de convencimento", diz Sayre. "Mas quanto dinheiro elas podem ganhar e injetar na economia." A julgar pelo desempenho dos últimos anos, essa injeção será fortíssima.

No que elas gastam

As brasileiras consumiram quase 800 bilhões de reais em 2009. Veja os principais setores beneficiados... (em bilhões de reais):


[clique na imagem para ampliar]

De acordo com a pesquisa do BCG, a massa salarial feminina mundial tem crescido em média 8% ao ano desde 2003 - ante um aumento de 5,8% nos ganhos dos homens. Com isso, a previsão é que a quantia controlada pelas mulheres e destinada ao consumo em todo o mundo deverá ultrapassar 20 trilhões de dólares em 2015, ante os 12 trilhões atuais. Para efeito de comparação: a massa salarial global masculina é, hoje, de 23,4 trilhões de dólares.

Um estudo realizado pelo instituto de pesquisa brasileiro Sophia Mind, do site Bolsa de Mulher, dá uma ideia do potencial do mercado formado por mulheres no Brasil. Dos quase 2 trilhões de reais destinados ao consumo em 2009, as mulheres responderam por 1,3 trilhão - desses, 800 bilhões vieram na forma de consumo direto e o restante contou com a influência delas. Mulheres já são grande parte dos mercados de carros, apartamentos, educação e saúde, para ficar em apenas alguns exemplos. "O poder de compra dessas consumidoras será, sem dúvida, um dos grandes caminhos para o crescimento do mercado brasileiro", diz Andiara Petterle, presidente do site Bolsa de Mulher e coordenadora da pesquisa.

...e a participação feminina no consumo total desses produtos e serviços:



[clique na imagem para ampliar]

Um estudo do banco Goldman Sachs estima que a redução da diferença salarial entre homens e mulheres somada ao ingresso de aproximadamente 150 000 brasileiras por ano no mercado de trabalho deverá elevar o PIB do Brasil em quase 1 ponto percentual por ano até 2013 - algo em torno de 100 bilhões de reais.

Embora o avanço do mercado feminino possa ser verificado em todos os segmentos da sociedade, é na pujante classe C que ele aparece de forma mais evidente. Um recente estudo elaborado pelo instituto de pesquisa Data Popular mostra que, na classe A, as mulheres são responsáveis por apenas 25% do total da renda familiar - ao passo que, na base da pirâmide, essa participação chega a 41%. Isso acontece porque, nesse estrato social, há um maior número de mulheres que se tornaram chefes de família. "A igualdade salarial deve chegar primeiro à baixa renda", diz Renato Meirelles, diretor do Data Popular e coordenador da pesquisa.

Veja mais dados dessa pesquisa na Revista Exame.
Bookmark and Share

sexta-feira, 7 de maio de 2010

FGV: consumidor gastará mais com presentes para mãe

Este ano, uma fatia maior de consumidores está disposta a gastar mais com presentes para o Dia das Mães do que na mesma data em 2009. É o que revelou nesta quinta-feira(06) a Fundação Getúlio Vargas (FGV), ao divulgar levantamento especial sobre intenção de compras para o Dia das Mães, com base nos dados da Sondagem das Expectativas do Consumidor de abril. Segundo a pesquisa, realizada em mais de dois mil domicílios de sete capitais, entre os dias 1 e 20 de abril, 14,4% dos entrevistados informaram que pretendem ampliar as despesas com presentes. No ano passado, somente 9,7% dos pesquisados estavam dispostos a aumentar o gasto.

Ainda segundo a pesquisa, 66% dos entrevistados planejam gastar este ano o mesmo valor do ano passado com presentes para o Dia das Mães. Em 2009, a fatia de pesquisados que pretendiam gastar o mesmo montante era de 57,4%. Já a parcela daqueles que pretendem economizar caiu. Em 2010, 19,6% pretendem gastar menos que em 2009 com presentes. Em 2009, 32,9% dos entrevistados responderam que encolheriam o gasto com relação ao ano anterior.

A maioria dos pesquisados (58,8%) pretende gastar mais de R$ 50 reais no presente. Entre os presentes mais citados estão roupas e acessórios, que foram lembrados por 47,17% dos entrevistados, perfumes e cosméticos (12,1%), eletrodomésticos e eletroeletrônicos (11,6%), calçados (8,6%), livros e CDs (2,1%) e outros (17,9%).

De acordo com outra pesquisa da FGV sobre produtos e serviços mais procurados para o Dia das Mães, a variação média de preços de itens relacionados à data está abaixo da média da inflação do período. A elevação média de preços de dez produtos e serviços procurados como presentes para as mães acumulou taxa 4,12% em 12 meses até abril. No mesmo período, a inflação média medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Brasil (IPC-BR) foi de 5,72%.

Fonte: Diário do Nordeste
Bookmark and Share

terça-feira, 27 de abril de 2010

FGV: confiança do consumidor sobe 3,5% em abril

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) subiu 3,5% em abril ante março, na série com ajuste sazonal, segundo informou hoje a Fundação Getúlio Vargas (FGV), que também revisou para cima a alta do ICC de março ante fevereiro, de 0,6% para 0,7%. Com o resultado, o desempenho do indicador, que é calculado com base em uma escala de pontuação entre 0 e 200 pontos (sendo que, quando mais próximo de 200, maior o nível de confiança do consumidor), foi de 111,4 pontos para 115,3 pontos de março para abril.

Em seu comunicado, a fundação informou que, em abril, tanto as avaliações sobre o momento atual quanto as expectativas com relação aos próximos meses foram mais favoráveis. O ICC é dividido em dois indicadores: o Índice de Situação Atual (ISA), que subiu 2,8% este mês após recuar 1,5% em março, e o Índice de Expectativas (IE), que mostrou alta de 4,1% em abril após apresentar taxa positiva de 2,1% em março. No caso do ISA, o sub-índice atingiu em abril o maior nível da série histórica, iniciada em setembro de 2005.

Ainda segundo a fundação, o ICC subiu 15,8% em abril na comparação com igual mês em 2009. No mês passado, o indicador nesta comparação avançou de forma menos intensa, com alta de 13 2% ante março de 2009. O levantamento abrange amostra de mais de 2.000 domicílios, em sete capitais, com entrevistas entre os dias 1 e 20 de abril deste ano.

Otimismo

O otimismo com o futuro da economia do País foi o que impulsionou a arrancada do ICC. Segundo comunicado da FGV, entre os cinco quesitos usados para cálculo do indicador em abril, o destaque ficou por conta do tópico mede o grau de otimismo das expectativas em relação à situação econômica local nos seis meses seguintes. A fatia de consumidores pesquisados que preveem melhora da situação econômica subiu de 23,2% para 26,8% de março para abril; já a parcela dos entrevistados que aguardam piora diminuiu de 13,2% para 8,9%.

Ainda segundo a FGV, nas respostas relacionadas ao presente, houve uma avaliação mais favorável no quesito de finanças pessoais, que atingiu o melhor nível desde o início da pesquisa, em setembro de 2005. De março para abril, a fatia dos consumidores entrevistados que avaliam a situação financeira familiar como boa aumentou de 19,3% para 22,3%; já parcela dos pesquisados que avaliam como ruim ficou "relativamente estável", na avaliação da FGV, ao passar de 11,4% para 11,5%.

Fonte: Verdes Mares.com
Bookmark and Share

terça-feira, 20 de abril de 2010

Bancos querem aprender a fazer negócios com a Classe C



A maioria das empresas brasileiras se acostumou a vender exclusivamente para as classes A e B. Afinal, há décadas essas eram as únicas famílias que dispunham de algum dinheiro no final do mês, depois de pagar todas as contas. Porém, isso mudou radicalmente nos últimos anos. Embora o grosso do dinheiro ainda esteja nas mãos das classes A e B, a Nova Classe Média já detém 1/3 da massa salarial brasileira. Por isso, vários setores começaram a estudar a fundo o comportamento desses consumidores, que pode ser bem diferente daquele apresentado pelos brasileiros que habitam o topo da pirâmide social. Um desses segmentos é o dos bancos, que encomendou uma pesquisa ao Data Popular para aprender como fazer negócio com a Classe C.

O estudo mostrou que propor poupança ou investimento para a classe média faz pouco sentido, porque para eles investir significa comprar uma roupa nova para uma entrevista de emprego, um computador para ajudar na educação dos filhos, pagar a mensalidade de uma universidade particular e até adquirir uma boa TV de LCD, que permite economizar em passeios externos e mantém os filhos na segurança do lar. O consumo também tem um componente de inclusão social, porque possibilita que tenham acesso a itens que só os ricos possuíam. Nesse cenário, dizer para o consumidor popular que ele não deve comprar para poupar e investir é tarefa inglória, certo? Seria exagero dizer que não existe poupança na classe média, mas ela é em geral apenas uma etapa para viabilizar conquistas mais ambiciosas, como a reforma da casa, compra de um carro ou a chegada de mais um filho. Em resumo, poupa-se para gastar mais depois.

Outro exemplo de descompasso entre a lógica dos bancos e a dos consumidores populares diz respeito ao uso do cartão de crédito. Enquanto o mercado financeiro se preocupa com segurança, clonagem etc, é comum entre as pessoas da classe C o empréstimo do cartão de crédito para familiares e até amigos. A pesquisa do Data Popular mostra que 32% dos brasileiros com alto nível de endividamento costumam usar cartões de parentes e amigos quando estão sem crédito e sem dinheiro.

Para Renato Meirelles, do Data Popular, o principal obstáculo está na diferença entre a lógica societária, adotada pelos bancos, e a lógica comunitária, que rege as relações na classe C e também na baixa renda. Em resumo, o brasileiro médio não entende nem se identifica com a linguagem formal, fria, impessoal e distante adotada pelo mercado financeiro. Para fazer bons negócios com esse novo cliente é preciso envolver emoção, ser mais informal, demonstrar solidariedade, investir em reciprocidade e estar presente no cotidiano dessa gente. Tudo o que os bancos não sabem fazer.

Fonte: Luiz Alberto Marinho, Blue Bus.
Bookmark and Share

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Varejo do CE é 1º do Nordeste

Pelo terceiro mês consecutivo, o comercio varejista do Ceará registra crescimento. Em fevereiro deste ano, assinala taxas de 3,8% no volume de vendas e 3,5% na receita nominal, ambas as variações com relação ao mês anterior (ajustadas sazonalmente) e assume o melhor desempenho do Nordeste. Em janeiro e dezembro os índices foram de 3,3% e 2,5%, em termos de faturamento e de 2,1 e ,25%, em se termos de renda. Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio, divulgados ontem pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Um comparativo com mesmo mês do ano passado, aponta um avanço de 18,3% no volume de vendas e de 21%, em se tratando de receita nominal, o segundo melhor resultado da região, abaixo apenas do de Sergipe (18,5% e 22%). No ano, os índices no Estado foram de 15,6% e 18,9%, respectivamente; e nos últimos 12 meses, 10,9% e 15,2%, na mesma ordem.

Quando se considera o comércio varejista ampliado, que inclui veículos, motocicletas, partes e peças; e material de construção os indicadores também foram positivos: 19,2% para o volume de vendas e 21,2% para a receita nominal.

Ramos de atividade

Por ramo de atividade, nove dos dez setores pesquisados no Ceará apresentaram resultados positivos. As vendas mais expressivas foram registradas em Móveis e eletrodomésticos, com variação de 32,8%, seguido de Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (29,5%); Veículos, motocicletas, partes e peças (21,3%); Hipermercados e supermercados e produtos alimentícios (21,1%); e Livros, jornais, revistas e papelaria (20,5%).

Outros segmentos que também cresceram foram Material de construção (17,9%); Tecidos, vestuário e calçados (10,7%); Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos; e Combustíveis e lubrificantes, ambos com indicador fechado em 9,1%. O único setor a encolher foi Outros artigos de uso pessoal e doméstico (-1,8%).

Quando se foca a receita nominal do varejo ampliado, por atividade, as variações também são positivas. Apresentaram os melhores índices: Móveis e eletrodomésticos (35,7%); Material de construção (25,2%); Hipermercados, supermercados e produtos alimentícios (23,7%); Livros, jornais, revistas e papelaria (23,3%); Tecidos, vestuário e calçados (22,1%); Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (21,2%); e Veículos, motocicletas, partes e peças (20,5%).

Outros indicadores de crescimento foram registrados em Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (11,9%); Combustíveis e lubrificantes (9,9%); e Outros artigos de uso pessoal e doméstico (6,3%).

Opinião do especialista
Números animadores para o Estado

Cid Alves
Presidente do Sindilojas

São animadores os indicadores do IBGE com relação ao comércio varejista do Ceará. Mas, é preciso considerar alguns pontos que justificam esse crescimento. Quando fazemos referência a base de comparação, que é fevereiro do ano passado, podemos dizer que 2009 foi de chuva excessiva, o que reduziu o desempenho do varejo como um todo, especialmente, no segmento de material de construção. Outro ponto a ser ressaltado é a crise mundial que embora não tenha afetado diretamente o comércio local, mas devido às notícias assustadoras refreou o consumo. O trabalhador com temor de perder o emprego acabou poupando algum dinheiro, ao invés de consumir. Mas, é preciso salientar os incentivos do governo com a redução do IPI para carros e móveis, o que levou as pessoas às compras, puxando também esse resultado para cima. 2010 é de boas expectativas : ano político, de Copa do Mundo e dos projetos do Minha Casa Minha Vida.

Fonte: Diário do Nordeste
Bookmark and Share

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Ceará lidera a expansão no emprego industrial, diz IBGE

Após liderar o crescimento no emprego em janeiro, a indústria cearense se manteve à frente das demais no aumento de contratações em fevereiro, avançando 8,5% no confronto com igual período do ano passado, apontou a Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário (Pimes), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A acentuada elevação foi impulsionada, segundo a pesquisa do instituto, pelos segmentos de calçados e couros - com incremento de 24,9% - e alimentos e bebidas (7,5%). Munido pelos recentes avanços, o acumulado no ano ficou em 7,2%, deixando o Estado com a maior marca do País e anotando larga vantagem sobre o segundo colocado, a Bahia, que acumulou, nos dois primeiros meses de 2010, uma taxa de 3,4%.

Resultado acumulado

No índice que mede o desempenho nos últimos 12 meses, o Ceará foi o único a apresentar variação positiva (1,3%). O porcentual ainda é afetado pelos números negativos de 2009, quando a crise financeira ainda pairava pelo mundo.

No indicador de horas pagas, a indústria cearense também obteve o resultado mais impactante do Brasil, com crescimento de 7,9% em fevereiro.

Mais vagas pelo País

Recuperando-se da queda de 1,1% registrada em janeiro e dos números proporcionados pela crise, o emprego industrial brasileiro mostrou o primeiro resultado positivo desde novembro de 2008, com crescimento de 0,7% em fevereiro.

Ainda assim, o índice do primeiro bimestre permanece negativo (-0,2%). No acumulado dos últimos 12 meses, o IBGE apontou taxa negativa de 4,8%. No comparativo com o mês imediatamente anterior, o País registrou evolução de 0,6% em fevereiro. Além dos bons números cearenses, a indústria de São Paulo influenciou fortemente nas contratações nacionais. O incremento paulista foi de 1,4%. Outro motivador da elevação nacional foi a região Nordeste, que cresceu 2,9%. Por outro lado, as áreas que motivaram negativamente foram Minas Gerais (-1,2%) e Paraná (-1,4%), pressionadas, respectivamente, pelas reduções nos setores de vestuário (-25,8%) e alimentos e bebidas (-4,3%). Setorialmente, o emprego industrial avançou em 12 dos 18 ramos analisados pelo IBGE, com destaque para papel e gráfica (8,2%), têxtil (4,6%) e calçados e couro (3,2%). Em sentido oposto, madeira (-12,5%) e vestuário (-3,4%) exerceram as principais influências negativas.

Para o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, o resultado apresentado pela indústria brasileira representa um marco histórico. "A economia está crescendo em ritmo consistente, principalmente a indústria. Vamos gerar mais de 2 milhões de empregos formais neste ano", declarou.

Opinião do especialista
Retomada da economia é evidenciada


FRANCISCO LIMA MATOS
Economista e diretor da Fiec

O crescimento da mão de obra industrial demonstra que está havendo uma retomada da economia cearense. 2009 foi um ano de reequilíbrio das atividades. Nesse ano, o Ceará começa já mostrando estar completamente recuperado daquela crise financeira internacional. Especificamente no setor de calçados, somos fundamentalmente exportadores e, como no início do ano passado a demanda caiu e a produção teve que acompanhar, e agora em 2010, já com há uma retomada na demanda internacional, pudemos começar a registrar um crescimento mais punjente. Na área de alimentos, basicamente o que temos tido é uma recuperação do poder aquisitivo das pessoas das classes C e D, aliado ao reajuste do salário mínimo e às medidas tomadas pelo governo federal que ajudaram a resgatar o poder de compra. Na verdade, o crescimento da renda dessas pessoas é que contribui para esses resultados positivos na indústria cearense. Também tem o fato de que, no Brasil, passamos os últimos meses com a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sendo aplicada a vários setores e, depois que isso foi tirado, as pessoas retornaram ao consumo cotidiano.

Fonte: Diário do Nordeste
Bookmark and Share

sexta-feira, 9 de abril de 2010

LS Estratégia comemora abrangência nacional do Concurso Cultural Cresça e Apareça

No dia 31 de março, a LS Estratégia divulgou o resultado do Concurso Cultural Cresça e Apareça – Primeiro Guia Online de Comunicação e Marketing para Micro e Pequenas Empresas. O concurso recebeu inscrições das mais diversas regiões do Brasil. Entre os ganhadores estão cidadãos de Porto Alegre (RS), São Paulo (SP), Macapá (AP), Fortaleza (CE), Rio de Janeiro (RJ), São Luís (MA), Ribeirão Pires e São Bernardo do Campo (SP).

Para participar do Concurso Cultural Cresça e Apareça, o interessado deveria acessar crescaeapareca.com, assistir ao vídeo de apresentação do produto e responder à pergunta “O que você espera do Cresça e Apareça?”. As dez respostas mais criativas ganharam assinaturas do Cresça e Apareça ou da Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios.

Relação dos vencedores
1º Lugar: Fabiano Caminha Moraes Costa / Fortaleza – CE
2º lugar: Washington Luiz Gomes Botelho / São Bernardo do Campo – SP
3º Lugar: Luiz Fernando P. Garcia Jr / Macapá – AP
4º Lugar: Carolina Leal Lima / Porto Alegre – RS
5º Lugar: Geiza Gomes Rocha / Rio de Janeiro – RJ
6º Lugar: Roberto José Santos Duailibe Mendonça / São Luís – MA
7º Lugar: Josival Gomes de Oliveira / Fortaleza – CE
8º Lugar: Clodeonor Carvalho de Araújo / Fortaleza – CE
9º Lugar: Ingrid Furtado Santos / São Paulo – SP
10º Lugar: Marcos dos Santos Pires / Ribeirão Pires – SP

crescaeapareca.com
Bookmark and Share

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Confira os vencedores do concurso cultural do Cresça e Apareça

Bookmark and Share

Novidade no mercado de outdoors

Frente às grandes perdas em dinheiro do mercado norte-americano de outdoors, chega ao setor uma sofisticada tecnologia para medir a audiência desta mídia. Em Fortaleza, após fase crítica, a demanda pela mídia exterior volta a patamares positivos com anúncios diferenciados

Quanto se fala em Twitter, Youtube, Facebook e outros fenômenos da internet. Quanto se fala em realidade aumentada, smartphones e agora Ipads. Mas um dos primeiros meios criados pelo homem para anúncios publicitários, o outdoor, não foi esquecido. Pelo menos não aqui nessa Fortaleza confiante no que "sempre deu certo" nem na economia mais rica do mundo, a dos Estados Unidos. Guardadas as devidas realidades tecnológicas, claro.

Depois de faturar 15,6% a menos no ano passado - uma redução de US$ 1,2 bilhão em relação a 2008 - o mercado norte-americano de outdoor agora conta com o Eyes On, um novo sistema de medida de audiência que pode aumentar as verbas direcionadas ao setor. Segundo informações da revista Advertising Age (AdAge), a nova métrica promete dados de audiências mais apurados, incluindo dados de demografia e etnografia.

Desenvolvido pelo Traffic Audit Bureau (TAB), o sistema Eyes On fornece informações sobre audiência, através de uma combinação de dados colhidos por diferentes empresas. Uma delas recepta vídeos em alta-definição que mostram pedestres expostos a outdoors. Os dados são enviados a um serviço de pesquisa que identifica quantos globos oculares estavam realmente olhando para os anúncios.

Um outro grupo repassa então os resultados de 400 mil unidades de medição de mídia diferentes à base de dados do Eyes On. Lá, estão classificado por formato, tipo de via (estrada, urbano, etc) e localização, como informa a AdAge. O antigo sistema, a Daily Effective Circulation (DEC), só media quantas pessoas tinham a "oportunidade de ver" um anúncio.

Fortaleza

Por aqui, a mídia exterior continua no páreo, apesar das sensíveis quedas em 2008. "Os melhores anos para esse tipo de publicidade no Ceará foram entre 2004 e 2006. Em 2009, o faturamento melhorou e neste ano as cifras devem se manter as mesmas", aposta o presidente do Sindicatos das Empresas de Publicidade Exterior do Ceará (Sepex-Ce), Moacir Sá.


Natashia Bedê - LS Estratégia

"Em mercados bem pequenos como o nosso, as mudanças vão ocorrendo bem mais lentamente. Talvez por isso fique um pouco mais difícil perceber que o outdoor esteja perdendo seu espaço para outros tipos de mídia, como a internet". Natashia Bedê - LS Estratégia


Mas bem longe da sofisticada tecnologia norte-americana, os publicitários se utilizam da relação público-alvo e lugares possíveis onde encontrar os consumidores. Segundo alguns profissionais da área, a nova métrica está distante de um mercado pequeno como o nosso. "Mesmo que tivéssemos, não poderíamos garantir a efetivação da compra. Existem fatores como: preço, produto, ponto de venda, promoção", destaca a publicitária Natashia Bedê, da LS Estratégia.

Mídia garantida

Se você lembra bem da Time Square – a famosa confluência de avenidas de Nova York, tão retratada em filmes hollywoodianos, como O Homem-Aranha – pode imaginar o quanto diferem os outdoors norte-americanos dos cearenses. Lá, a maioria deles é eletrônica. Em fortaleza, apesar das tentativas de reordenação do espaço urbano da cidade, ainda são muitas as placas espalhadas pela cidade. Bem menos atrativas que as luminosas do Tio Sam, é verdade, mas que chamam atenção pela criatividade.

“Nosso mercado ainda é muito dependente do ‘que sempre deu certo’. Se um cliente sempre fez campanhas envolvendo outdoor e obteve um sucesso, ele continuará, fazendo”, afirma o publicitário Thiago Peixoto, da Quinto Comunicação. Ele diz ainda que, no momento, o espaço do outdoor nos planos de mídia só é perdido por conta da retirada de placas devido às intensas fiscalizações ocorridas nos últimos anos.

Mas, apesar daquele espaço fixo, dá pra inovar. “Quando o cliente nos dá oportunidade, sempre procuramos explorar um pouco mais da mídia. Um exemplo foi a campanha ‘eleve-se’ para o Mucuripe Club, que utilizamos bolhas como aplique”, diz o publicitário.

A LS Estratégia também inovou ao unir duas placas de outdoor e um aplique correspondente ao corpo da modelo, de 3,45m de altura. Ainda foram inseridas luzes especiais que, como flashes, piscavam o tempo todo. A impressão era de que a modelo estava na passarela diante de vários fotógrafos. Com esta peça, a LS Estratégia conquistou Prata no prêmio Central do Outdoor 2009.


Fonte: O Povo
Bookmark and Share

Classe C vai demandar 10 milhões de imóveis

Projeções da consultoria MB Associados mostram que nova classe média popular vai dominar o mercado imobiliário brasileiro até 2016



A classe média popular vai dominar o mercado residencial brasileiro nos próximos anos, segundo recente estudo da MB Associados. De acordo com as projeções da MB, a classe C, com renda familiar de três a dez salários mínimos, terá uma demanda habitacional potencial por 10,4 milhões de imóveis até 2016.

Sérgio Vale, economista da MB Associados, crê que grande parte da demanda potencial se direcione para a compra de imóveis novos, dada a rápida expansão do crédito imobiliário e o aquecimento desse mercado.

A demanda potencial da classe C é, inclusive, maior que a demanda potencial total de todas as classes, que é de 9,5 milhões até 2016. O fenômeno se explica pela migração prevista, para a classe C, de famílias das classes D e E.

“O foco do setor nos próximos anos têm de ser a classe C, que é uma classe média, e não as classes mais baixas, D e E, que estão diminuindo”, diz vale.

Fonte: Jornal O Estado de São Paulo - 04 de Abril de 2010.
Bookmark and Share

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Pedidos de falência de grandes empresas cresceram 6,9% no primeiro trimestre do ano

De janeiro a março deste ano, os pedidos de falência de grandes empresas chegaram a 62, ante 58 no mesmo período de 2009, um aumento de 6,9%. A informação é do Indicador de Falências e Recuperações, pesquisa mensal realizada pela empresa de consultoria Serasa Experian.

De acordo com o economista responsável pela pesquisa, Carlos Henrique de Almeida, o aumento está associado à demanda externa, que ainda não se recuperou plenamente dos efeitos da crise financeira internacional que começou em setembro de 2008, e ao "fato de o real estar valorizado frente ao dólar, estimulando as importações".

No entanto, ele observou que a economia está crescendo, o que permite melhor desempenho das empresas de médio porte. O segmento apresentou queda de 12% nos pedidos de falência, que passaram de 117 para 103 processos. O mesmo aconteceu com as micro e pequenas empresas, cujos pedidos de falência caíram de 330 no ano passado 319 neste ano, 3,3% a menos.

A pesquisa mostra que, no conjunto dos segmentos, as falências requeridas diminuíram pela metade (50,2%) e o movimento de recuperações judiciais requeridas (em que as empresas tentam renegociar os seus débitos) teve redução de 4,2%.

Para Henrique Almeida, o desempenho das micro e pequenas empresas ainda esbarra na dificuldade de acesso ao crédito. Ele citou dados do Banco Central que mostram crescimento de 2,7% para as linhas de financiamento aos consumidores, enquanto para aquele segmento empresarial a oferta cresceu apenas 1,7%.

AGÊNCIA BRASIL

Fonte: O Tempo Online
Bookmark and Share

terça-feira, 6 de abril de 2010

LS Estratégia lança campanha em Tocantins

A LS Estratégia, agência responsável pela comunicação e marketing da Signa - instituição financeira credenciada pelo Banco do Brasil – criou uma Campanha para divulgar o Crédito Consignado.

Totalmente produzida em Fortaleza, a campanha consiste em um spot (Mr. Jingo), dois Vts (Ursa Maior), além de folders e displays. Os filmes são baseados na linha do humor. O primeiro mostra uma cadela da raça poodle levando um panfleto aos seus donos, angustiados com as dívidas. O segundo vídeo mostra um casal, triste por não ter condições de viajar, mas o acaso os leva a Signa. Na sequência, eles se preparam de forma bem descontraída para fazer a viagem dos sonhos.

A campanha está sendo veiculada em Tocantins e posteriormente será lançada em Macapá, Brasília (Sede) e demais cidades onde a empresa tem filial.

veja as peças da campanha a seguir:


Móbile



Panfleto


Veja os vídeos no Canal do YouTube da LS Estratégia.
Bookmark and Share

quarta-feira, 31 de março de 2010

Redes sociais são a chave de futuros negócios, dizem especialistas



Investir nessas ferramentas transmite qualidade e segurança ao cliente

As redes sociais – Orkut, Facebook, Twitter, entre outras – são ferramentas que precisam ser exploradas pelas empresas, incluindo o varejo. Mas, não basta publicar uma série de informações. Os empresários precisam orientar o cliente e chamar a sua atenção de maneira criativa. “Não é só para publicar ofertas. Isso todo mundo faz. O empreendedor precisa agregar valor”, afirma Ricardo Pastore, diretor da consultoria de planejamento estratégico Growbiz.

Se uma loja é voltada para o ramo musical, pode colocar clips, disponibilizar trechos de músicas, mostrar a capa de um cd novo. Se vende calçados, pode mostrar fotos dos pares exibindo cada detalhe do produto. Segundo os especialistas, a palavra para utilizar bem esse tipo de ferramenta é a inovação. “É essencial formar e multiplicar fãs e seguidores da marca”, diz Pastore sobre o Twitter, Orkut e as outras redes sociais. Essa maneira de pensar faz com que essas plataformas sejam elevadas a redes de comunicação, pois permitem a fixação do nome da empresa, o conhecimento sobre a linha de produtos vendidos e despertam a curiosidade de saber mais sobre o assunto. Essas informações, se transmitidas com coerência, valorizam a qualidade da venda. “As pessoas quando pensam em uma marca pensam no conjunto”, afirma Edmour Saiani, sócio-diretor da agência de gestão estratégica Ponto de Referência. O cliente se sente mais satisfeito pelo serviço prestado e mais seguro para uma nova compra. A utilização de mais recursos para apresentar o trabalho de uma companhia interessa o público final. “O consumidor é visto como o protagonista do processo”, afirma Francisco Alvarez, professor de Marketing da USP e responsável pela consultoria de marketing Trade Marketing.

Fonte: RedSuns
Bookmark and Share

segunda-feira, 29 de março de 2010

Ibope ressalta importância da classe C

Os principais consumidores de eletrônicos estão na classe C. Esse foi um dos pontos levantados pelo último Pyxis, pesquisa realizada pelo Ibope Inteligência que apresenta o potencial de consumo do brasileiro em 42 grupos de produtos e por classes sociais em todas as cidades.

"O aumento do poder de compra dessas pessoas é incentivado pelo financiamento e crédito", informou Antônio Carlos Ruótolo, diretor de geonegócios do Instituto. Segundo o estudo os consumidores pertencentes à classe B são responsáveis por 45% das compras em som, TV e vídeo, seguida pela classe C com 32%, A com 16% e D/E com 7%.

As classes A e B representam 32% da população. No entanto, juntas consomem 55% de todos os grupos de produtos que a pesquisa analisa, exceto alimentação, o que corresponde a um consumo três vezes maior do que sua participação na população. Bolsas, malas, cintos e brinquedos são os produtos mais consumidos por eles.

A classe B consome o dobro de seu tamanho e tem preferência por cosméticos, bebidas (água, sucos, refrigerantes, cervejas e vinhos), bolsas, malas, cintos e brinquedos. Já na classe C, cujo consumo é proporcional a sua participação populacional, produtos de mercearia, calçados femininos, vestuário infantil e carnes e derivados são os itens mais procurados.

O estudo ainda revelou o potencial de consumo por região no Brasil. Os únicos setores em que os gastos são iguais para todas as pessoas são alimentação e higiene pessoal, média de R$1.419 e R$232, respectivamente per capita.

O brasileiro tem as maiores diferenças de consumo com bebidas. Na região que mais se consome, o Sudeste, cada pessoa gasta R$131, enquanto na região onde o consumo é menor, o Nordeste, o valor cai para R$47. A média nacional é de R$98.

Outro item com fortes diferenças regionais de consumo são os gastos escolares. A região Norte investe R$77, já na região Sudeste, o gasto sobe para R$340, impulsionado pelas classes A e B. A média nacional corresponde a R$248.

O Estado de São Paulo é o que mais gasta com alimentação domiciliar e com produtos para a casa. Os cariocas consomem mais em bebidas, paranaenses em artigos de limpeza e os gaúchos com medicamentos.

O diretor de geonegócios do Ibope destaca o Distrito Federal como o maior consumidor de todos os 42 grupos de produtos que a pesquisa estuda. “A região centro-oeste é a que tem o crescimento mais expressivo, a expectativa é que se iguale a região sul/suldeste”, disse.

O levantamento permite que conforme o tipo de produto e o perfil da região, as ações de marketing e publicidade sejam direcionadas para o potencial consumidor.

Fonte: AdNews
Bookmark and Share

quinta-feira, 25 de março de 2010

LS Estratégia ganha bronze por Jingle no GP Verdes Mares

Os vencedores da terceira edição do Grande Prêmio Verdes Mares de Propaganda foram premiados, ontem à noite, em uma cerimônia realizada no buffet La Maison Dunas.

As agências Mota, Bolero, Quintto, Síntese, Advance, G. Marketing, Slogan e Promosell ocuparam os primeiros lugares da disputa, promovida pelo Sistema Verdes Mates (SVM) com o objetivo principal de estimular e premiar o talento publicitário cearense.

A LS Estratégia, que estava concorrendo em quatro categorias, conquistou o prêmio bronze pelo Jingle "A Marca da Confiança", do cliente Ceará Diesel. Esse mesmo Jingle foi 1º lugar na 6ª edição do Prêmio ACERT – Associação Cearense de Emissoras de Rádio e Televisão, em 2009. A agência também foi finalista na categoria série rádio, com a campanha "Família Benz", do mesmo cliente.

Este ano, o GP Verdes Mares de Propaganda bateu recorde no número de materiais inscritos, totalizando 314 peças, que foram julgadas por profissionais renomados no mercado publicitário local e nacional. As agências concorreram em 12 categorias. Com destaque para a TV Peça Cariri, inédita no concurso, e para a Criação Campanha, devido à premiação dada ao primeiro e segundo lugares.

Veja a lista completa dos vencedores:



Parabéns a todos as Agências Vencedoras e ao Sistema Verdes Mares por prestigiar o mercado publicitário local.

Fonte: Diário do Nordeste
Bookmark and Share

terça-feira, 23 de março de 2010

Publicidade online


A relação entre o usuário e as marcas na internet não é fator determinante para que as inserções publicitárias sejam lembradas, é o que disse Valquíria Garré, da Millward Brown Brasil, durante o 4º Congresso Brasileiro de Pesquisa (ABEP) - na tarde de quarta-feira (22). O que cativa o consumidor é o conteúdo relevante.

A pesquisa da Abep, feita com público jovem e adulto, aponta que produtos de tecnologia, carros, roupas e restaurantes são as que se saem melhor no boca a boca online. Já as categorias de refrigerantes, supermercados e o setor de seguros não se relacionam com os assuntos relevantes buscados pelos internautas, segundo os consumidores.

A televisão ainda é relevante para as pessoas, dos jovens interrogados, 28 disseram associar a propaganda à TV, cinco à sites, três à revistas e um YouTube. Valquiria pondera que o resultado é esperado se levando em conta os investimentos publicitários destinados à essa mídia.

Fonte: Adnews
Bookmark and Share

quarta-feira, 17 de março de 2010

terça-feira, 16 de março de 2010

Sindvendas lança parceria com Cresça e Apareça

Luiz Santos apresenta o Cresça e Apareça

No dia 11 de março, foi realizado o lançamento da parceria entre Sindvendas e Cresça e Apareça. O Presidente do Sindvendas, Maia Jr, abriu o evento divulgando a mais nova parceria da associação. Luiz Santos - idealizador do produto - apresentou o Cresça e Apareça, mostrando os conteúdos e os links mais interessantes. Articulador do SEBRAE-CE, Azim Sarriune fechou a solenidade falando da importância do Cresça e Apareça para os micro e pequenos empresários.



O evento contou com a participação dos Representantes Comerciais do Estado do Ceará, empresários registrados no Corece – Conselho Regional dos Representantes Comerciais do Ceará, e empreendedores. Durante o evento, foram sorteadas três assinaturas trimestrais do Cresça e Apareça.

Azim Sarriune, Maia Jr e Luiz Santos

crescaeapareca.com
Bookmark and Share

Comércio do CE cresce 13,2%

O Estado superou a média de crescimento nacional e começou o ano com bons números no comércio varejista

Na balada de evolução do pós-crise, o comércio varejista do Ceará apresentou crescimento de 13,2% em janeiro, ante o mesmo período de 2009, ultrapassando a alta média do país de 10,4%, indicou pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica (IBGE). O Estado foi superado apenas por Mato Grosso (18,2%), Acre (17,9%), Amapá (17,1%) e Goiás (15,4%). O avanço do comércio cearense ainda foi superior aos fechados em dezembro (12,8%) e novembro (8,0%). De acordo com Cid Alves, presidente do Sindicato do Comércio Varejista e Lojista de Fortaleza (Sindilojas), o resultado positivo das vendas no Estado ante janeiro de 2009 já era esperado. Ele lembra que, no último ano, o Brasil, mesmo não sendo afetado pela crise mundial com a mesma intensidade de outros países, sofreu com os efeitos, o que acarretou índices comerciais menores que o usual. Para 2010, segundo ele, as expectativas são de pleno crescimento nas vendas.

Brasil em ascensão

No País, as vendas do comércio varejista subiram 2,70% em janeiro em relação a dezembro de 2009, configurando a maior elevação neste tipo de comparação registrada na série histórica do indicador do IBGE, iniciada em janeiro de 2000. Na comparação com janeiro de 2009, as vendas do varejo aumentaram 10,40% em janeiro deste ano. Nesta comparação, as expectativas variavam de 7% a 9,40%.

O resultado de janeiro na comparação com igual mês do ano passado teve importância fundamental do segmento de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, cujo volume de vendas subiu 10,2% ante janeiro do ano passado. O setor já vinha apresentando bons resultados ao longo de 2009, devido a índices positivos de emprego e de renda, que costumam afetar positivamente o segmento.

O volume de vendas de Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo em janeiro mostrou resultados positivos em todos os tipos de comparação, e foi um dos destaques do comércio varejista no primeiro mês do ano. Segundo o IBGE, na comparação com janeiro do ano passado, as vendas neste segmento subiram 10,2% em janeiro deste ano. De acordo com o instituto, o segmento foi responsável por 47% da taxa global do varejo na comparação janeiro ante igual mês do ano passado (10,40%). Na avaliação do IBGE, este desempenho foi motivado pelo aumento do poder de compra da população, em virtude do crescimento da massa de rendimento real efetivo dos assalariados.

Em janeiro, outros segmentos também apresentaram resultados positivos nas vendas do comércio varejista ante dezembro do ano passado. É o caso de móveis e eletrodomésticos (+7,9%); equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (+5,8%); livros, jornais, revistas e papelaria (+3,2%); outros artigos de uso pessoal e doméstico (+2,5%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (+2,0%).

Fonte: Diário do Nordeste
Bookmark and Share

terça-feira, 9 de março de 2010

Internet é vital para 80% da população

Quase 28 mil pessoas de 26 países foram consultadas para entender papel da web na sociedade.

Quatro em cada cinco pessoas ouvidas em uma pesquisa realizada pela agência BBC consideram o acesso à internet um direito fundamental do ser humano embora mais da metade dos entrevistados tenha confessado que poderia viver sem a rede mundial de computadores.

O estudo do GlobeScan aponta que 87% dos usuários consideram fundamental o acesso livre à rede. Entre os que não navegam na internet, 71% partilharam dessa opinião, fazendo com que aproximadamente 80% dos quase 28 mil entrevistados de 26 países considerem vital o livre acesso à web. Do total de questionados, metade apoiou totalmente a afirmação.

O serviço, porém, foi apontado como dispensável por mais da metade dos entrevistados. 55% deles disseram que conseguiriam viver sem a internet. No Brasil, esse índice sobe para 71%, um dos maiores entre as populações consultadas.

Segundo a pesquisa do GlobeScan, a maior parte dos internautas - 90% - crê que a rede seja um bom lugar para aprender, e 47% acreditam que o melhor aspecto dela seja proporcionar informação de todos os tipos.

A liberdade proporcionada pela rede foi um dos pontos que mais se destacou entre as preferências dos internautas. Cerca de 78% deles disseram que a internet lhes garante maior liberdade, 48% julgaram a rede um lugar seguro para expressar opiniões e 53% defendem a ideia de que não deve haver regulação do governo sobre a web em qualquer lugar do mundo.

O estudo também apontou as preocupações dos internautas. 32% apontaram as fraudes como o aspecto mais preocupante da rede, seguido do conteúdo violento e explícito (27%) e das ameaças à privacidade (20%). A censura do governo sobre o conteúdo publicado na rede foi apontado por apenas 6% dos internautas.

Sobre o tempo gasto pelos usuários nas internet, a pesquisa apontou que 23% se mantêm online por 13 horas ou mais semanalmente e 40% gastam de três a 12 horas na rede por semana. Os que passam três horas semanais ou menos conectados somaram 35% dos entrevistados.



Participaram da pesquisa da GlobeScan: Índia, Nigéria, Gana, Paquistão, Alemanha, Brasil, Indonésia, Japão, Rússia, Quênia, Egito, Chile, Filipinas, México, Turquia, Reino Unido, Tailândia, França, Portugal, Canadá, Espanha, Austrália, México, EUA, China, Coreia do Sul e países da América Central.

Fonte: economia.estadao.com.br
Bookmark and Share

segunda-feira, 8 de março de 2010

Renda feminina na classe C equivale a 41%


A cada ano, a participação da mulher na decisão de compra só aumenta. Com o crescimento do poder aquisitivo da população de baixa renda, a tendência é que a população feminina conquiste ainda mais poder. De acordo com o instituto Data Popular, enquanto na classe A a renda feminina equivale a 25% do ganho da família, na classe C ela passa a 41% de participação. Como esse estrato social deve continuar crescendo, aí está uma grande oportunidade para as marcas.

As mulheres são responsáveis por 37% da massa de renda total da classe C, o que atingirá os R$ 158 bilhões até o fim de 2010. Ainda segundo o Data Popular, nas lojas de roupas, farmácias e supermercados, as mulheres são 51% do público consumidor. Enquanto 62% das mulheres da classe C possuem cartões de crédito, o índice entre os homens é de 59%.

O Ibope Mídia também aproveitou a data para divulgar dados sobre os hábitos de consumo feminino. Segundo o instituto, 67% das mulheres com 18 anos ou mais fizeram compras pessoais, excluindo bebidas e alimentos, nos últimos 30 dias. No mesmo período, o índice de homens que compraram foi de 58%. Os produtos campeões de venda foram roupas femininas, com 78%, seguidos de calçados, com 60%, roupas para homens, com 43%, e roupas para crianças e bebês, com 39%. Os números mostram que elas são responsáveis não apenas pelos gastos próprios, mas também pelos do resto da família.


Fonte: Propmark
Bookmark and Share

sexta-feira, 5 de março de 2010

Sindvendas lança o Cresça e Apareça em evento especial

Na próxima quinta-feira, dia 11 de março, a partir das 17h30, o Sindvendas realizará o lançamento do Cresça e Apareça para os Representantes Comerciais do Estado do Ceará, empresários registrados no Corece – Conselho Regional dos Representantes Comerciais do Ceará, e para empreendedores que desejam crescer e aparecer. O evento contará com a presença do Presidente do Sindvendas, Maia Jr, o articulador do SEBRAE-CE, Azim Sarriune e o publicitário Luiz Santos, da LS Estratégia e idealizador do Cresça e Apareça.

O Cresça e Apareça é o primeiro guia online de Marketing e Comunicação do mundo destinado à micro e pequenos empresários. A ferramenta foi idealizada, custeada e desenvolvida pela LS Estratégia.

Dia: 11 de março de 2010 (quinta-feira)
Local: Casa do Representante Comercial
Rua Joaquim Nabuco, 3275 – A
Dionísio Torres – Fortaleza/CE
Aberto ao público.

Contamos com a sua presença.
Bookmark and Share

AddThis

Bookmark and Share